17 de junho de 2008

“Tornar o amor real é expulsá-lo de você, para que ele possa ser de alguém” (Nando Reis)

Ele coleciona amores platônicos. É mais fácil pra ele lidar com a frustação. Passou a ser cômodo idealizar um amor perfeito, uma deusa, um futuro bom... mas nunca fez nada para mudar isso, ou se fez, acha que não deu certo...

A última paixão platônica dele não tem muita explicação. Se apaixonou, para variar, por uma mulher linda, sorriso claro, simpática, boa conversa, atenta, delicada. Até que essa era acessível! Olhou pra ele, dançou, conversou, trocou elogios, se aproximou... pronto! A velha história do simpatia é quase amor. Confundiu, talvez... comum aos bobos. Ser romântico passou a ser patético.

Daí encheu-se de esperanças, sorriu, espalhou aos quatro ventos sua alegria, sua admiração, seus sonhos. Se expôs demais - desnecessariamente - aos mais próximos, menos a ela. Ela não sabe dessa admiração. Ela mal o conhece. Ela está longe dele. Lá longe, quase intocável, uma deusa, uma perfeição.

Enquanto isso, ela se apaixona, se entrega, se aproxima de outros, que lhe procuram. Enquanto isso, ele sofre calado, escondido. Enquanto isso, ela termina namoro, desfaz qualquer relacionamento. Enquanto isso, ele enxerga uma esperança, tenta se aproximar novamente, quem sabe é agora? Quem sabe?

O tempo passa, e ele nada.

Ela tudo. Aberta para um novo amor, este reaparece na pele de um outro cara bacana...

É meu amigo, o que dirá agora? Quanto tempo mais levará para abafar mais esse amor utópico?

Ele percebe que ela não lhe pertence, nunca lhe pertenceu e nunca lhe pertencerá. Se ele não age, como ela pode saber de seu amor? Nada fez para mudar a situação cômoda.

Joga fora esses óculos escuros, rapaz! Vá enxergar a vida! So many special people in the world! Mas é preciso mudar de atitude, ou melhor, da falta dela! Perceba as oportunidades e saiba aproveitá-las! Esqueça as impossíveis, creia nas reais! Não tenha medo!

Ok, você vai dizer que é fácil falar, estando fora do aquário. Tudo bem. Mas te permito apenas um dia de tristeza, e nada mais! Chore! Chore bastante! Coloca a raiva de um amor frustrado para fora em um único dia! Mas no dia seguinte, ah o dia seguinte! Este será diferente! Ao invés de colecionar paixões platônicas, expulsa-as de si, de seus sonhos tristonhos.

14 comentários:

Cris disse...

Tudo isso me soa bem familiar... e olha que essa minha frase tem vários sentidos..rs "A gente quer ver o horizonte distante, abre o mar".. =)

Jujuba disse...

"e nunca lhe pertencerá"???

coragem para arriscar e petiscar!!

Anônimo disse...

Já ouvi essa história antes...
Muito bonito seu texto!!! Como sempre....

Bjão "meu bem"!

Dani disse...

Adorei o post!!!
Me vi nesse post.
Abs

Anônimo disse...

Uma mulher considerada "feia", segundo os padrões atuais impostos pela sociedade, se interessa por um homem bonito (aos olhos desta mesma sociedade). Ela pode "investir" neste homem? O que você acha? É muita pretensão dela? Tenho apreciado bastante os seus textos. Será que você me responderia aqui no seu espaço?
É só a impressão de um homem que eu gostaria de saber.
Obrigada.

Anônimo disse...

Uma mulher considerada "feia", segundo os padrões atuais impostos pela sociedade, se interessa por um homem bonito (aos olhos desta mesma sociedade). Ela pode "investir" neste homem? O que você acha? É muita pretensão dela? Tenho apreciado bastante os seus textos. Será que você me responderia aqui no seu espaço?
É só a impressão de um homem que eu gostaria de saber.
Obrigada.

Mário Cesar Filho disse...

quem sou eu para responder sobre isso! Uma resposta muito subjetiva por atrapalhar ou ajudar na sua decisão, mas "investir" em alguém não estaria retomando a concepção de "amor platônico"? Como você encara o verbo "investir"? Algo objetivo, direto de sua parte? Ou esperaria ele tomar uma atitude? Uma coisa você tem que ter certa, antes de agir, esteja preparada para o sim (que é o mais fácil, é claro), mas principalmente para o não! Deve pensar que o amor próprio está sempre em primeiro lugar, mesmo se a resposta for sim!

Anônimo disse...

Obrigada!

Renata Mendonça disse...

O que não se pode é anular-se depois que tudo não foi como você quiz.
O tempo passa é a magoa também.
Não faça das proximas meninas ( digo as realmente legais) que aparecerem na sua vida uma questão de se fiseram comigo irei fazer igual com elas agora.
Você vai perceber que a vida lhe dará talvez uma pessoa que você não ama tanto, mas que ti dará coisas que o ser humano realmente precisa, compreensão, carinho e respeito...creio que com esses sentimentos o amor novamente se reestabelece.

Fabiana disse...

To com uma dúvida, vc escreveu esse post para mim? hehehe
Sei exatamente o que é se anular mesmo quando a chances reais de algo bom acontecer.

Juliane disse...

RSRS
"simpatia é quase amor"!!
Nossa adorei o texto..
concordo em Partes...
Mas deveriamos, mesmo que não existisse a menor chance desse amor progredir,revelar nosso afeto a pessoa admirada,isso nos deixaria aliviado inpedentemente que haja rejeição...
nos deixaria mas preparado pra procurar um novo amor...

Izabela disse...

gostei muito do teu texto... espero profundamente que o que você relatou não aconteça contigo.

Venna disse...

Noossaaa eu adooooooro esse seu texto !!!!!
[seguindo] ;)

Adriane Ponte Cisne disse...

Talvez você nunca vá ver este comentário por causa da data antiga da postagem, mas mesmo assim vou comentar... Talvez eu avise a você sobre este comentário em um post mais atual... ^^

Adorei seu texto!!!
Achei sem querer por causa do título que é uma parte de uma música do Nando Reis que eu queria saber o nome.

Quanto aos personagens, se me permite analisar: fiquei com pena do moço que vive amores platônicos sofrendo sozinho, mas fiquei com mais pena da moça que perdeu o coração do moço e a oportunidade de ser muito feliz ao lado de alguém que ainda sonha nesse tempo de um mundo tão objetivo e seco.

O moço pareceu um desabafo do autor. ^^