16 de abril de 2008

Quem foi que disse que é impossível ser feliz sozinho?

Há pessoas que estão com alguém por estar. Não amam, mas também não desgostam. Afinal, é uma companhia. Então, você se acostuma com o que tem. O cotidiano vai te levando para a mesmice, por costume, pelo habitual.

Não é o mais bonito, porém não é feio. Não te surpreende, mas também não reclama, deixa passar, faz corpo mole, dorme até mais tarde, tem preguiça de ir à praia. Até te cansar. Daí, você começa a imaginar em coisa melhor. Sim, porque não passa de uma coisa na sua vida. Uma coisa que te acompanha, assim como um cachorro de estimação, um carro que te leva para passear, um livro, um mp3 player, uma bicicleta de final de semana. E quando você menos percebe, o que ele(ela) significa para você? O que ele te acrescenta?

Há pessoas que estão com alguém por estar. Porque não conseguem viver sozinhas, consigo mesmas. Porque não se aturam como boa companhia. Necessitam de alguém para ir ao cinema, para fazer compras no final de semana, para dividir suas angústias e alegrias, para dormir e pôr em dia um sexo habitual. Essas emendam um relacionamento em outro. Sai o Joãozinho, entra o Marcinho, que depois é substituído pelo Paulinho, que é largado porque o Luizinho chegou de repente. Em dez anos, uns cinco namorados diferentes.

A cada término, a promessa que com o próximo será diferente. “Vou fazer tudo diferente, começando pela escolha”. Mas o problema não é ele, e sim você. Você não sabe quem você quer, porque na verdade você não sabe o que quer. Quer um namorado de verdade ou uma coisa pra te fazer companhia?

“É impossível ser feliz sozinho”, dizia Vinícius em seu “Wave”. Realmente. Mas também não é pra aceitar qualquer um. Calma lá! Vamos selecionar um pouco, pessoal. Olha a carência!

Essa tal de carência que te faz mal. Aliás, é o mal da humanidade! Graças a ela, há pessoas que estão com alguém por estar (você já leu essa frase antes!). E emendam uma frustração na outra. “Não deu certo com Joãozinho, vou tentar com Marcinho, mas que também não serve, então vamos com o Paulinho, que também é bola fora, daí o Luizinho, que vai fazer a diferença”. E cadê você nisso tudo?

Tenta experimentar, mas só um pouquinho, ficar sozinha por um tempo. Tenta lhe aceitar, lhe conhecer mais e melhor. Quem sabe isso não lhe fará bem? Você vai perceber que terá mais tempo para se cuidar, para rever os velhos amigos, para fazer novos amigos. Vai fazer o que der na telha, o que está a fim de fazer algum tempo, mas sempre se viu presa porque “alguém” te prendia. Vai ver gente que você nunca viu porque estava com uma coisa ao seu lado.

Desculpe mestre Vinícius, mas prefiro terminar meu texto com a letra de “Satisfeito” dos tribalistas (Arnaldo, Carlinhos e Marisa): “Quem foi que disse que é impossível ser feliz sozinho/ Vivo tranqüilo, a liberdade é quem me faz carinho/ No meu caminho não tem pedras nem espinhos/ Eu durmo sereno e acordo/ Com o canto dos passarinhos”.

7 comentários:

Rachel disse...

Amigo.. mais uma vez amei o seu texto! É a mais pura verdade.. temos q aprender a ficar sozinhos.. a curtir sozinhos e nao precisar de bengalas ambulantes pra nos apoiar! Vamos nos apoiar nos amigos.. pq eles sim nunca vão embora.. na cerveja... nas festas huahuahauhauhua enfim.. na gente mesmo!!!
Eu te amo muitaoooooooooooo!
bjs

Anônimo disse...

Essa é uma reflexão e tanto ... Valorizar-nos, eis um desafio!!! Reconhecer-se necessitar do outro e também ter a certeza que se faz necessário! Presentear a nós mesmos com momentos de "retiro" que, com certeza, facilitarão um trilhar mais claro de nossos próprios caminhos em busca da tão sonhada felicidade.
Parabéns por seus textos!
Achei-o por acaso, pretendo continuar lendo suas reflexões.
Obrigada.

Camila disse...

Começo me desculpando pelos meu "pré"conceito, mas é muito difícil ler relexões dessa natureza escritas por um homem.
Parabéns pelo blog!
Já virei leitora e coloquei seu link como meus preferidos no meu também.

Jujuba disse...

é... sempre pensei desta forma... será que a pessoa se acha tão chata, tão insuportável, que não consegue travar uma relação com ela mesmo??? acho que esse tipo de atitude é uma forma de fuga da realidade, dos seus problemas mais íntimos e por aí vai!

Dani disse...

Adorei o texto e também estou adorando seu blog!!
Concordo em número,gênero e grau com o que vc escreveu nesse post. Sempre fui da turma do antes só do que mal acompanhada. Nem sempre é fácil estar só, mas tá com alguém que não te agrege, que não te faça feliz de verdade e que não esteja para somar, esqueçe.
E por falar em Wave de Vinícius eu tenho parte da frase que vc encionou aqui tatuada, só que eu tatuei a primeira parte da frase. Fundamental é mesmo o amor.
Abs
Dani

Anônimo disse...

Meu bem!
Nem falo nada....
rsrsrs

Bjao meu lindo,
Erica.

Anônimo disse...

Cara vc escreve muito bem....ótimo texto