13 de abril de 2009

Para que facilitar, se podemos complicar?

- Olá, o que posso ajudar?
- Oi, eu quero dois sundaes, por favor. Mas como eu não gosto muito de castanha e ela não gosta de cobertura, eu queria que você colocasse duas vezes castanha em um sundae, e duas vezes cobertura no outro, tudo bem?
- Desculpe, senhor, mas isso não é possível.
- Mas por quê?
- Não temos permissão para isso, senhor.
- Desculpa, mas eu não vejo nenhum problema nisso. Veja bem, ao invés de você colocar dois sundaes completos, eu só peço que tire a castanha de um e coloque no outro, assim como a cobertura deste outro no primeiro... algum problema nisso?
- Desculpe, senhor, mas cada sundae só dá direito a uma cobertura e uma quantidade certa de castanhas.
- Eu sei, minha querida! Mas eu paguei por dois sundaes, e se eu não gosto de castanha mas paguei por ela, você por favor coloque a minha parte da castanha no sorvete dela. Assim como a cobertura dela no meu sorvete! Qual a parte que você ainda não entendeu?
- Senhor, infelizmente não podemos mudar o procedimento de nosso serviço. Então, não é possível modificar o nosso produto final.
- Então eu quero falar com o gerente, por gentileza.

- Olá, o que posso ajudar?

4 comentários:

Pah disse...

pois é... é o que eu digo: as pessoas acordam do nada com esse espírito de porco e perguntam pra si mesmas: pra que simplificar quando eu posso complicar, ãhn?

Camila disse...

O problema é que esses 'seres' são capacitados em procedimentos e na maior parte das vezes falta massa cinzenta para administrar situações como essa.
Para ambos parece algo óbvio - tanto para o consumidor (que não está solicitando nada fora do normal), como para o atendente (que foi doutrinado em um procedimento burro que "não se deve questionar").
Pior é que na maioria das situações como essa, nem adianta discutir... eles vão continuar martelando o procedimento (achando que estão com total razão) e você vai sair do estabelecimento sem ter convencido uma santa alma e soltando fogo pelas ventas de tanta raiva.

Jujuba disse...

diante desta fábula podemos tirar duas lições: advogados são espertos e sabem se defender. outra um barraquinho sempre é bem vindo..

railer disse...

cara, isso é foda. acontece comigo no spolleto sempre que quero salada de massa com frango. peço pra colocar a massa infantil, que vem menos, já que estou comendo com salada. daí dizem que não pode, que tem que ser a massa maior... sempre tem que vir o gerente pra eu explicar que não quero a maior, mesmo que o preço não mude... putz.. é o que a camila falou... procedimentos...