3 de dezembro de 2007

170 anos de tradição!



Durante a minha formatura, um professor contou um caso de que estava uma vez dentro do avião, quando conversando com o colega de poltrona, se descobriram ex-alunos do Colégio Pedro II. Logo em seguida, outro escutou a conversa e apontou “eu também sou ex-aluno”. Do outro lado do avião, outro também se manifestou “eu também”, depois outro, e mais outro... de repente os quase 300 alunos formandos começaram a gritar no auditório: “eu também sou ex-aluno, “eu também”, “eu”...

Depois de formado, percebi que isso é uma constante na vida de um ex-aluno do CPII: por onde você passar, sempre haverá um ex-aluno do colégio. Geralmente a descoberta vem porque alguém comenta uma passagem típica de quem estudou por lá (falta de professor, greve, hino do colégio). Pronto, aí começa a sessão nostalgia.

Engraçado que, enquanto eu era aluno, dizia que daria graças a Deus em sair do colégio, porque não agüentava mais aquele “peso” de estudar em um colégio de tradição “por onde vários presidentes e ilustres já passaram”. Eu deveria honrar “a segunda pele” que era aquele uniforme. Achava um saco levantar toda vez que um professor entrava em sala de aula, andar com a camisa para dentro das calças, cantar os hinos (nacional e do colégio) toda terça-feira, ficar esperando para entrar no segundo tempo quando chegava 7h05, ter aula de arte, desenho, educação física, filosofia, educação para cidadania, latim...

Foram treze anos de Pedro II, do CA ao 3º ano (eu repeti um ano no primário). Diante de tantos anos, quase todos os professores e inspetores sabiam quem eu era. Nunca fui aluno exemplar, mas também nunca cheguei a ir pra fevereiro (recuperação que exigia no mínimo cinco na nota final). No máximo prova final, em duas ou três matérias.

Hoje escrevo esse texto em homenagem ao meu colégio que completou 170 anos no último dia 2 de dezembro! Não tem como não sentir paixão por ele! Só quem estudou entende esse sentimento. E só quem estudou (veja bem, só quem ESTUDOU, no passado, portanto, isso não serve para quem ainda estuda!). Falo isso, porque muita coisa que aprendemos lá só vamos perceber seu real valor depois que saímos. Se antes, implicávamos com as aulas de filosofia, música, arte, desenho e educação para cidadania (só para citar algumas), depois percebemos o quanto essas aulas fizeram a diferença. Não apenas para a formação educacional, mas principalmente para nossa formação como cidadão! Aprendemos os valores humanos, sabendo conviver desde cedo com as várias realidades sociais e, mais que isso, respeitando todas essas diferenças. São muitas histórias pra contar...

E voltando para sessão nostalgia, naquela conversa entre ex-alunos, não tem como não acabar na tabuada! Aliás, só para matar a saudade:

Pedro II, tudo ou nada?
Tudo!
Então como é que é?
Tabuada!

Três vezes nove, vinte sete.
Três vezes sete, vinte e um
Menos doze, ficam nove
Menos oito, fica um
Zum Zum Zum
Paratibum
PEDRO II”

(aos que estudaram, quem nunca cantou isso no aniversário de alguém?! Ops: mais uma maneira de descobrir um ex-aluno!)

13 comentários:

Rodrigo disse...

É meu amigo esqueceu de dizer que encontramos também irmãos e irmãs que acabam aumentando a nossa familia....Uma história de vida, muita coisa boa pra contar....

E quem diria que ia fazer tanta falta hein!!!!!

Ainda bem que pelo menos temos os irmãos que ficam na nossa vida para compartilhar novos momentos e se deliciar com as recordações!!!

OBRIGADO CP2...OBRIGADO PROFESSORES...OBRIGADO DEUS!!!

Valeu meu irmão!!!!

ABRAÇÃO!!!

Mariana disse...

mario.....AMEI o texto, estou até chorando.....é sério....muito legal.....eu sempre desejava me livrar do colégio e agora daria tudo pra voltar pra aquela época.....muitas saudades...mas como vc falou ficam as lembranças e as histórias pra contar, ou melhor, as muuuuuuitas histórias pra contar!!!!! te adoro amigo!!!
amei!!!!!

CAROLINA disse...

É, a gente encontra ex-aluno do CPII em todos os lugares... até o namorado que conheceu no trabalho! ;-)

As histórias são muuuitas mesmo!
Você esqueceu de falar das aulas aos sábados... como doíam!!! E as milhares de músicas que tínhamos que aprender?!
Mas, hoje, é bom demais lembrar disso tudo!

Pena que vocês não puderam ir na feijoada! Fernando encontrou vários amigos!
Tinha muuuita gente. E todo mundo junto cantando o Hino do Colégio, o da Bandeira, a Tabuada, lógico! E "oh Tupã, Deus do Brasil...", lembra disso?!!! rsrsrs..

Tudo ficará bem guardinho em nossas memórias, esse é o nosso maior tesouro!!!

Bibi disse...

Amigo, sem dúvida. Parece que temos alguma coisa que logo nos reúne e ajuda a quebrar o gelo. Tenho orgulho e mta saudade de ter estudado lá!

Babuska disse...

Caraca. Não te conheço, vc não me conhece... Mas muito bom o texto. Permissão para salvar no pc?

Mário Cesar Filho disse...

Babuska, como vc mesmo falou, nós não nos conhecemos, mas como descobriu isso aqui? Que bom que gostou do texto! Pelo jeito é ex-aluno também, hehe! Claro que pode salvar no seu pc. Abraço!

Antonio da Silva Fernandes disse...

Caro Mário Cesar Filho!
Muito bom o seu texto sobre os "170anos de tradição!" do Nosso fascinante, fantástico e inesquecível CPII.
Dos 33 anos de trabalho como professor de Física naquele abençoado Colégio, só guardo boas recordações, só encontrei motivos de alegria!
Parabéns!
Fernandes

Antonio da Silva Fernandes disse...

Caro Mário Cesar Filho!
Muito bom o seu texto sobre os "170 anos de tradição!" do Nosso fascinante, fantástico e inesquecível CPII.
Dos 33 anos de trabalho como professor de Física naquele abençoado Colégio, só guardo boas recordações, só encontrei motivos de alegria!
Parabéns!
Fernandes

Klara Horus disse...

Amei esse texto!! Tb fui aluna do CPII, e concordo como é engraçada essa estória de sempre encontrar alguém do CPII por aí, pessoas íntegras e especiais certamente.Inclusive meu namorado tb foi estudante de lá...mas se formou bem antes de mim!! Alunos do CPII atraem alunos do CPII!Digo alunos, porque não existe ex-alunos no CPII, seremos alunos eternos!!
Abraço.

Melbrux disse...

Mário... Não te conheço mas fiquei emocionada com o seu texto. Eu sou um monumento histórico do CPII! Fui aluna de 1957 a 1961! Eu fui a primeira mulher a subir na escada e tocar o famoso sino do pátio, pois fui a primeira aluna da Escola. Usei o uniforme "caqui". Fui chamada de "Café Globo" e respondia, com orgulho: "Bom até a última gota". Briguei com estudantes do Instituto La Fayette. Clovis Monteiro foi meu Diretor e fui aluna de Mello e Souza (mais conhecido por "Malba Tahan" famoso escritor e filósofo).Pena que hoje eu more em São Paulo, onde é mais raro encotrar ex-alunos do CPII.
Obrigada pelas lembranças.
Amélia Lemos Teles

Mel disse...

Mário... Não te conheço mas fiquei emocionada com o seu texto. Eu sou um monumento histórico do CPII! Fui aluna de 1957 a 1961! Eu fui a primeira mulher a subir na escada e tocar o famoso sino do pátio, pois fui a primeira aluna da Escola. Usei o uniforme "caqui". Fui chamada de "Café Globo" e respondia, com orgulho: "Bom até a última gota". Briguei com estudantes do Instituto La Fayette. Clovis Monteiro foi meu Diretor e fui aluna de Mello e Souza (mais conhecido por "Malba Tahan" famoso escritor e filósofo).Pena que hoje eu more em São Paulo, onde é mais raro encotrar ex-alunos do CPII.
Obrigada pelas lembranças.
Amélia Lemos Teles

thaic. disse...

Li o seu texto com um sorriso enorme no rosto. Sou completamente ultima geração de Pedro II, me formei faz dois anos. E o que eu encontro de "ex-alunos" pelas ruas, na faculdade, nos amigos dos meus amigos...
A tabuada é sempre uma constante nas festas de aniversário do pessoal. e vai ser até a gente (Deus me livre!) se desvencilhar. por que afinal de contas, o Colégio Pedro II não tem essa coisa de "ex-aluno".
E se é aluno, tem que saber cantar o hino, a tabuada...
aah que saudade do meu Pedro II.
*-*

simone_santos disse...

Procurando pela internet ex-alunos do CPII me deparo com seu texto...morro de saudades do Pedro II....dos amigos, professores, inspetores, pátio, piscina, tudo. Não tenho saudades da faculdade, morro de saudades do CPII. Uns 4 anos atrás fui no CPI São Cristóvão, onde me formei, e sentei na arquibancada e fui lembrando de todos os momentos incríveis que passei lá....chorei muito..gostaria de reencontrar meu amigos da turma 1313 do ano de 1988. Alguns até já encontrei aqui pela Tijuca, no facebook, orkut, mas não eram meus amigos mais chegados. Gostaria muito de encontrar o Zé (salcicha), Luciene, Julie já achei, Beto também..Ivan, Pato. Quem tiver notícias me escreva, por favor! simonesantosbio@gmail.com.