19 de junho de 2009

O famoso calote amigo

Em todo grupo de amigos, há sempre um que já é velho conhecido no grupo pelos seus calotes. Todo mundo é amigo, mas também ninguém fala na cara da pessoa e acaba deixando passar...

Eu conheço pelo menos duas pessoas assim, de grupos diferentes de amizade, mas que a fama já é tanta que o pessoal corre quando a pessoa solta um “paga pra mim, depois acerto contigo?”.

Esta semana, combinamos um encontro na casa de um amigo, que voltou a morar no Rio (para felicidade de todos!). Daí, o combinado também era cada um levar alguma coisa pra beber e comer. Até aí, tudo bem.

Quando estava pronto pra ir sozinho, liga uma amiga pedindo carona (já o primeiro ato). “Ok, então passo daqui a pouco na sua casa”. “Não, estou no shopping, na academia. Pode passar aqui?”. Hum... (ela mora do lado da minha casa, mas me fez passar no shopping – segundo ato).

Bem lembrando que antes de ir buscá-la, já tinha passado num lugar para comprar massa branca (como petisco), e só faltava então algo para beber. Como já adivinhava, ela não tinha comprado nada, então, acabamos passando num mercado próximo.

Eu só fiz pegar o refrigerante, enquanto ela encheu o carrinho de refri, dois sacos de pão de queijo e ainda dois sacos de batata frita (para ir beliscando no caminho). Então, na hora de pagar...

- Este cartão não foi aceito, senhora.
- Não???? Como assim? Ai meu Deus... então tenta com esse outro aqui, por favor.
(comentário da pessoa: “bem, eu passo o cartão, mas nem sempre tem dinheiro mesmo... se colar, colou”)
- Senhora, este outro cartão também não está sendo aceito.
- Ah, não é possível! Gente, como pode? Aff...
(agora vem a clássica frase!!!!)
- Amigo, paga essa para mim, depois eu acerto contigo?

E agora? O que você faz?

1- Finge que seu cartão não está passando também e diz que o seu dinheiro está contado para o refri?
2- Acaba pagando tudo, para terminar logo a situação e sair o mais rápido possível do mercado?
3- Se vai pagar no cartão também, fala logo que está cansado de receber calote e que não vai pagar nada não?

4 comentários:

Júlia disse...

a resposta depende do nivel de intimidade...

se vc fosse a pessoa caloteira... eu pagava mas dava o esporrinho ;)

Fabiana disse...

opção 2.
Quem é do tipo oposto (os que sempre observam os calotes) nunca iriam dizer que o cartão também não está passando... fazer o quê? tem gente que nasceu para ficar dando um de bonzinho e se....

Camila disse...

Amigos assim todos nós temos - e se não temos é porque provalmente somos um deles.
Tive um nesse mesmo nível de abuso na época que morei em SP - um cara do trabalho.
Todo dia na hora do almoço ele abria a carteira e dizia: "Putz... esqueci o VR em casa". E pedia pro "trouxa" do dia pagar o almoço dele.
Depois da "décima quinta" vez de me aplicar esse golpe esse ele veio... "Putz...". Eu nem deixei terminar: "Putz... esqueci o meu também... pior, esqueci foi a carteira com tudo. Pode pagar o meu hoje no teu débito, depois te pago?". Nesse momento o mocinho ficou até sem cor, mas acabou aceitando pagar meu almoço. No dia seguinte, ao invés de pagar o mocinho, falei pra ele descontar do valor que ele me devia (porque eu não ía conseguir ficar devendo o cara, mas de alguma forma arrumei um jeitinho pra ele perceber que eu sabia que ele tinha dívidas comigo - e que simplesmente não tinha esquecido). Lógico que ele nunca me pagou a diferença da dívida, mas também nunca mais veio me dizer que esqueceu o VR em casa.
Vou até postar uma tirinha que li ontem em homenagem a este post. rsrsrsrs
Bjs

railer disse...

eu pagava só o meu refri e pronto.

amigo mesmo não faz isso. isso aí é pseudo-amigo.