16 de junho de 2010

Estádio Jornalista Mário Filho


Nunca liguei para futebol, não sou fanático pelo flamengo e confesso que só em tempo de Copa do Mundo (como atualmente) eu paro para assistir a um jogo. Mas o pretexto para escrever esse post é sobre um dos pontos turísticos mais badalados do Rio de Janeiro. Para um país que é conhecido pelo seu carnaval, samba e futebol, nada mais representativo ter o Maracanã como um desses pontos mais importantes.

O Maracanã completa hoje 60 anos com slogan “60 anos bem jogados e muita emoção pela frente”. A comemoração inclui uma mostra com relíquias e fotos importantes, além de iluminação especial.


Mesmo não tendo essa paixão toda por futebol, o que significa que fui pouquíssimas vezes assistir jogos por lá, eu tenho uma relação com o famoso estádio. Primeiro começando pelo nome. Estádio Mário Filho. Desde garoto, sempre ouvi piadinhas em referência ao meu nome e até certa maneira tirava onda em dizer que o nome do estádio era uma homenagem a minha pessoa. Na época do colégio, tive um professor de educação física que só me chamava de Maracanã enquanto fazia a chamada da turma.

Para quem não sabe, Mário (Rodrigues) Filho – o original – foi um importante jornalista esportivo que adorava futebol e um dos fundadores do Jornal dos Esportes. Além disso, ele foi irmão do também jornalista (e mais conhecido) Nelson Rodrigues e, numa família de jornalistas (o Mário pai foi o primeiro a começar a saga de jornalistas), Mário Filho se destacou como especialista em jornalismo esportivo. Mais um detalhe: eu também sou jornalista (mas estou longe de ser especialista nesse assunto!).

A segunda coisa é o fato de eu morar muito próximo ao estádio e passar por ele quase diariamente. Ou seja, morar perto de um dos “templos mais importante do futebol brasileiro” tem lá seu valor, porque querendo ou não você vivencia essa história o tempo todo. Lembrando também que o Complexo do Maracanã não é só um estádio de futebol. Ele concentra um dos maiores centros esportivos do mundo (já foi considerado o maior estádio do mundo). Além do campo de futebol, há o Ginásio do Maracanãzinho, famoso pelos jogos de basquete e vôlei, o Parque Aquático Julio Delamare e a Pista de Atletismo Célio de Barros. O entorno do estádio também é muito freqüentado pelos adeptos do exercício físico! – eu inclusive costumava correr algumas voltas por lá (cada volta cerca de 1.800 metros).

Mas o que mais me recordo desse estádio foram os eventos nada esportivos que ocorreram por lá. Para recordar a infância, lembro da famosa “chegada do papai Noel” que descia de helicóptero e era sensacional para crianças. Além disso, ia quase todas as apresentações de Holiday On Ice no Maracanãzinho, sensacionais! Fiz até simulado para vestibular no Maracanã lotado de estudantes estressados na época.

Já fui a dois grandes shows no gramado o que dá uma sensação muito legal quando você olha de baixo para cima, ou seja, da visão dos jogadores para o público na arquibancada. Ah sim, os show foram The Police (dezembro de 2007) e Madonna (dezembro de 2008). Sem esquecer também da belíssima cerimônia de abertura dos Jogos Pan-Americanos em 2007. (essas datas me assustam, porque parece que foi ontem que isso aconteceu!).

Vale a pena também conhecer a exposição permanente do Museu do Futebol, muito bem organizado (e que nada perde para o espaço do Estádio Santiago Bernabéu, do Real Madri).
 

2 comentários:

Angélica disse...

Ah, a chegada do papai noel!!! Que saudade!! Era tão legal e eu sempre comia um cachorro quente e pipoca e bala, tudo ao mesmo tempo e ninguém achava ruim!!! Ah, que saudade!

railer disse...

já fui lá ver jogo (a primeira vez foi na final do carioca entre vasco e flamengo) e também shows (o último também foi madonna).

parabéns pro mário filho!