9 de junho de 2010

Uma declaração de amor

“Tu és divina e graciosa, estátua majestosa no amor por Deus esculturada (...) És mãe da realeza, és tudo enfim que tem de belo em todo resplendor da santa natureza”.

Hoje venho dedicar essa belíssima letra a minha amada mãe como verdadeira declaração de amor. Quando me refiro a figura materna, lembro da imagem sublime de Maria carregando em seus braços o pequeno Jesus, com seu manto protetor e aconchegante. É exatamente essa imagem de benevolência, entrega maior e amor imensurável que me faz “iconizar”, se assim posso definir, a figura materna. E é como vejo em vários momentos a minha, com sua dedicação infinita em prol da felicidade não só de seus filhos, mas de toda a família. Abnegação e doação – talvez fossem essas as palavras que a definissem melhor, por tudo que já passou e por ainda passa.

Sua fortaleza transparecida talvez oculte uma fragilidade escamoteada, pois sabemos que nenhuma mulher (nem homem) é capaz de enfrentar desafios tão pesados sem ao menos tropeçar. “Sorri vai mentindo a tua dor, e ao notar que tu sorris, todo mundo irá supor que és feliz”. Não é fingimento. Ao contrário, é real! Digo isso porque sei que apesar das tristezas inerentes da vida terrena, está a certeza na verdadeira felicidade “que não está nesse mundo”. E ela mais que ninguém acredita nisso, por isso enfrenta qualquer dor como prova divina, responsável pelo seu crescimento espiritual necessário. Afinal, estamos todos aqui para aprender, seja na alegria, seja na tristeza.

Entretanto não é de pedras no caminho que desejo refletir agora.

Minha declaração vai para a mulher que me criou, educou e mostrou o caminho do bem. Mais que isso, me definiu e consolidou o ser humano que sou hoje. Não perfeito (longe disso), mas na busca dela, como todos nós deveremos buscar. É de sua coragem que criei a minha. É de sua educação e sabedoria, que formei a minha. É de seu amor fraternal, que absorvi e construí o meu. E dessa fonte beberei até quando Deus assim me permitir. Peço a Ele sempre para que a proteja de qualquer mal, abençoe sempre sua estrada, ilumine sua trajetória, e que dê forças para nunca abalar sua fé. Seu sorriso é meu maior presente, assim como sua lágrima é a minha maior melancolia. Seu afago é meu conforto, minha proteção. Suas palavras são minhas cartilhas. Seu ser é minha fortaleza. Sinto-me um privilegiado, por ter, dentre tantos espíritos afins, o mais sublime perto de mim e ainda poder chamá-lo de mãe. Te amo!

Parabéns!

2 comentários:

Angélica disse...

Parabéns pra sua mãe!!! Mãe é tudo! Linda a homenagem! Beijos

railer disse...

mãe é mãe! também amo a minha!